Voltar ao Topo

artigos

[anterior]

[próximo]

23/03/2012

SXSW 2012 - 10 coisas que aprendi

O SXSW é um evento extraordinário. Cerca de 20.000 pessoas assistem centenas de painéis em dezenas de locais - e isso sem contar o networking promovido nos cafés da manhã, nas festas à noite e até nas ações de marketing de guerrilha, como homens vestidos de lutadores de sumô. E ainda com os shows de Jay Z entre outros tantos eventos paralelos.

Então, após cinco dias participando de um banquete de insights, dados, melhores práticas, o futuro disso e o fim daquilo, como seria o meu Top 10?

Bem, se você fizesse essa pergunta a 100 pessoas em Austin receberia 100 respostas diferentes, porque a experiência de cada um é única e intransferível. Assim, essa lista não pretende ser definitiva. É uma visão mais pessoal do que eu acho que foi importante e relevante.

1) Negócios para o bem: um poderoso grito de guerra
Sem dúvida, todas as vezes em que foi falado sobre a necessidade dos negócios serem melhores e mais sociais, as salas ficaram lotadas de pessoas interessadas em participar das discussões. Este foi um tema que transpirou energia e foi discutido apaixonadamente no painel "Não apenas venda as coisas: mude o mundo". O debate, que encorajou as empresas a fazer o bem com aquilo que têm de melhor, também direcionou a atenção ao chamado de Tim O'Reilly para que os empresários não valorizem apenas os termos monetários. Um tema intelectual e cultural, portanto. Esperem ouvir mais sobre isso.

2) Google está apoiando o Google+
Há um embate de opiniões sobre o Google+: alguns dizem que estão diante de um fiasco e outros que são grandes fãs, como o diretor de mídias sociais do Google, Vic Gundotra. Ele esteve no SXSW para recomendar um olhar mais assertivo que realmente ajude na compreensão do que se vê. Já Guy Kawasaki rebateu dizendo: "Julgue-o (Google+) pelo que ele é. Evite comparações com o Facebook (ou como Gundotra disse, "com o concorrente social"), e use-o da maneira certa".

3) Saúde no digital está crescendo rápido
Um segmento inteiro do SXSW foi dedicado à saúde. A maior parte das discussões focou no mercado americano, onde os custos de seguros estão subindo, os tratamentos de doenças como diabetes e obesidade são muito caros, e as soluções online podem ajudar pacientes e médicos. Mark Bertolini, presidente e CEO da empresa de seguros de saúde Aetna, sugeriu que ao invés de tratarmos as doenças, façamos investimentos em aplicativos que estimulem a prevenção. Em outra sessão sobre o futuro do mundo digital na saúde, participantes dos painéis ressaltaram o trabalho de start-ups desenvolvidos especificamente para esta área, ajudando os profissionais a melhorar as condições dos pacientes.

4) As mulheres digitais querem o digital para mulheres
No Texas, estado pródigo em consumo de carne, as mulheres - assim como os vegetarianos - foram minoria no SXSW e algumas discussões focaram nessa questão. Diversos painéis encorajaram uma presença feminina mais ativa em empresas digitais, aperfeiçoando habilidades como CEOs, orientando a próxima geração de mulheres bem sucedidas. Outros discordaram desse approach e argumentaram sobre o desenvolvimento de produtos e sites exclusivamente para mulheres, sugerindo pesquisa e insights para ajudar os profissionais do mundo digital a conviver melhor com a nova realidade.

5) O medo de perder algo está vivo e forte
O medo de perder alguma coisa, em inglês FOMO (Fear of Missing Out), é como se fosse o espírito que comandou o SXSW. Afinal, com tanto conteúdo simplesmente não se consegue dar conta de tudo. Então, qual seria o melhor lugar para apresentar uma pesquisa ou algo parecido a um público ávido por novidades? Segundo Ann Mack, diretora de tendências da JWT, as mídias sociais ampliam essa mentalidade e provocam nas pessoas a necessidade de se mostrarem mais sábias e bem relacionadas.

6) A política está se quebrando, as mídias sociais mobilizam as massas
Neste ano eleitoral nos EUA, a máquina política foi o centro das atenções. O ex-vice-presidente Al Gore dividiu o palco com o empresário Sean Parker para dizer que a qualidade do debate político no país tem sido desvalorizada pela televisão. Além disso, o aspecto financeiro é outro fator relevante e as mídias sociais podem ajudar a elevar o padrão. Gore chamou essa necessidade de "Occupy Democracia" (uma alusão à ocupação de Wall Street em protesto contra a política monetária americana). Novas plataformas como ruck.us foram lançadas no evento e prometem facilitar os encontros das pessoas que desejam organizar a próxima Tea Party ou um outro movimento do tipo "Occupy".

7) Continua o namoro entre as mídias novas e antigas
Quando começaram os rumores sobre a compra do Mashable pela CNN, por US$ 200 milhões, muita agitação foi o que se viu no SXSW. A história mostra mais uma vez como a mídia tradicional classifica estas aquisições em mídias sociais. E como disse meu colega Danny Devriendt, este é um caminho não necessariamente fácil de ser trilhado.

8) As emissoras estão apostando em três telas
As emissoras pensam cada vez mais em como aproveitar as mídias sociais, ao invés de vê-las apenas acontecendo. Agora que estamos assistindo à TV twittando em nossos smartphones ou navegando com um tablet, tudo ao mesmo tempo, as redes de televisão reconhecem que querem participar da programação. A estrategista digital da ABC News Soraya Darabi deu um passo adiante e acredita que as discussões sociais podem influenciar diretamente a programação, assim também como a decisão de quem deve apresentar o próximo Oscar.

9)Marcas estão ficando mais espertas para envolver a Geração Y
As grandes discussões do evento giraram em torno da ascensão da Geração Y, mas os membros da referida geração nem sempre fizeram parte delas. O tio de um participante de 17 anos me disse que o que ouviu não era novidade nem para quem tinha 35. Por outro lado, Gen Yer Valerie Elston, da Porter Novelli, ficou impressionada pela forma como marcas como a Chevrolet e GM trouxeram pessoas como ela para tomar parte do seu processo criativo.

10) A tecnologia ambiente chegou
Em sua palestra, Amber Case expôs o caso sobre a tecnologia ambiental que - no fundo - existe para facilitar a vida de todos. O aplicativo Highlight, que deixou boa impressão no SXSW, ajuda a descobrir onde seus amigos do Facebook estão e está sendo anunciado como exemplo de "realidade ambiental. "Este aplicativo é uma app que combina mídia social, local e móvel, também conhecido como"SoLoMo".

O SXSW foi assim para mim.
Espero que você tenha gostado da cobertura da equipe da Porter Novelli!

 


  • Head de Digital da Porter Novelli Reino Unido
  • Helen Nowicka

  • (0 votos)

[anterior]

[próximo]

Rio de Janeiro
R. Mena Barreto, 37
Tel. 21 3723.8080

São Paulo
Av. Juscelino Kubitschek, 1.726 / 10 andar
Tel. 11 3323.1520 - 3073.0233

Brasília
SHS, Qd. 06, Conj. A, Bl. E, Sala 923
Ed. Brasil Business Center - Brasil 21
Tel. 61 3049.9550

copyright 2011 In Press Porter Novelli | todos os direitos reservados | criação In Press Porter Novelli | desenvolvido por AM4