Voltar ao Topo

artigos

[anterior]

[próximo]

30/06/2011

O momento da comunicação em saúde é estar atento às mudanças impostas pela sociedade


Trabalhar a comunicação para a área de saúde no Brasil é um grande desafio diário. Como chamar a atenção dos públicos de interesse para temas de saúde, onde se tem um sistema público ativo neste mercado, uma população gigantesca a ser atendida, e uma indústria focada em trazer novos tratamentos e, ao mesmo tempo, gerar negócios? A equipe de comunicação precisa se reinventar todos os dias e buscar novos caminhos para brigar por temas que possam fazer a diferença para a imprensa que é o principal meio para se chegar à população/pacientes, médicos e Governo.

Não basta apenas ter um novo medicamento nas mãos que muitas vezes tem poucos diferenciais com relação à concorrência . É preciso dar um caráter de importância para a doença ao qual ele se destina e, dentro deste contexto, atuar de forma estratégica para levar o que realmente pode ser importante para os pacientes e seus cuidadores. É com este olhar que a mídia trata dos assuntos de saúde.

O trabalho de comunicação está pautado em gerar a discussão em torno destes temas, seja através de inovações de tratamento ou por meio de estratégias para atingir os públicos de uma cadeia que possam olhar doenças até então negligenciadas ou de pouca incidência entre os brasileiros.

Partindo-se do princípio de que a mídia precisa falar com grande parte da população consumidora do País, costuma-se dar mais atenção a doenças as quais afetam grande parte da população, como as doenças crônicas – hipertensão, colesterol, diabetes – ou inovações que possam trazer qualidade de vida visível para as pessoas, como as inovações dermatológicas e endocrinológicas. Desta forma, torna-se um grande desafio inserir tratamentos para doenças muito sérias que afetam uma parcela menor da população, mas que podem ter um ônus muito grande ao paciente e seu cuidador que muitas vezes está na própria família.

A indústria farmacêutica precisa estar atenta e buscar novas formas de se comunicar com seus públicos, em especial a imprensa que, na maioria das vezes, é responsável por levar as mensagens importantes para a população. É preciso participar ativamente nas iniciativas ligadas à prevenção de doenças, mesmo que isto em um primeiro momento, possa representar o contra-fluxo dos seus interesses de negócios. Só assim, a indústria trabalhará para deixar de ser vista como vilã e passará a ser uma aliada do Governo e população. No mundo inteiro, até mesmo em países os quais a legislação para o mercado de saúde é mais livre, as campanhas de saúde têm influenciado positivamente para a construção de imagem positiva das empresas que tomaram a iniciativa de apoiá-las. Estas ações sociais servem para mostrar  que por trás dos negócios de uma empresa, também existem preocupações de levar o melhor tratamento aos pacientes. Afinal, pesquisas de mais de 10 anos para o desenvolvimento das moléculas confirmam esta preocupação.

E onde fica o paciente nisso tudo? Ele será beneficiado através da disseminação das informações sobre os novos tratamentos. Muitas vezes, ele sequer tem conhecimento de que pode haver a cura para o seu problema, a melhora da qualidade de vida ou o seu prolongamento. Com a disseminação das informações de novos tratamentos, a indústria cumpre seu papel social de informar os seus públicos sobre os esforços de pesquisa para atingir estes objetivos.

A imprensa e os médicos têm um papel fundamental na disseminação destes conhecimentos. Mas, não podemos esquecer que as mídias sociais já desempenham uma função importantíssima na comunicação para saúde. Hoje, o paciente busca informações e trocam experiências na internet e, infelizmente, muitas vezes têm acesso a informações inverídicas. Esta ferramenta pode atingir uma mudança de cultura da sociedade em torno da questão, na qualidade de vida das pessoas. Por tudo isso, existe um espaço para a indústria, especialistas e instituições de saúde que pode e deve ser trabalhado para se comunicar com a sociedade, de forma transparente e confiável, através da utilização desta ferramenta que não pode ser desprezada quando o assunto é saúde e informações para a população em geral. Se a indústria estiver atenta às mudanças deste mercado e a importância de uma comunicação

  • (0 votos)

[anterior]

[próximo]

Rio de Janeiro
R. Mena Barreto, 37
Tel. 21 3723.8080

São Paulo
Av. Juscelino Kubitschek, 1.726 / 10 andar
Tel. 11 3323.1520 - 3073.0233

Brasília
SHS, Qd. 06, Conj. A, Bl. E, Sala 923
Ed. Brasil Business Center - Brasil 21
Tel. 61 3049.9550

copyright 2011 In Press Porter Novelli | todos os direitos reservados | criação In Press Porter Novelli | desenvolvido por AM4